Links de acessibilidade

Este tema de discussão foi arquivado - respostas não são permitidas.

Racismo

A ministra Matilde Ribeiro, titular da Secretaria Especial de Política da Promoção da Igualdade Racial (Seppir), disse que considera natural a discriminação dos negros contra os brancos.

Em entrevista à BBC Brasil para lembrar os 200 anos da proibição do comércio de escravos pelo Império Britânico, considerado o ponto de partida para o fim da escravidão em todo o mundo, ela disse que "não é racismo quando um negro se insurge contra um branco".

"A reação de um negro de não querer conviver com um branco, ou não gostar de um branco, eu acho uma reação natural, embora eu não esteja incitando isso. Não acho que seja uma coisa boa. Mas é natural que aconteça, porque quem foi açoitado a vida inteira não tem obrigação de gostar de quem o açoitou", afirmou.

Clique aqui para ler a entrevista da ministra

Você concorda? Dê sua opinião.

Publicado: 27/Mar/2007 11:21 GMT

COMENTÁRIOS

Número de Comentários:786

Os comentários aparecem em ordem cronológica.

Enviado: 12/Jul/2007 11:14 GMT

brasil tem um karma enorme a felicaidade perversa dos brancos vai acabar no brasil em lagrimas pra eles

manuel sarangatti sao paulo

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 8/Jul/2007 14:25 GMT

A "ministra" Matilde tem problemas pessoais graves não resolvidos e está impregnando as relações do Governo Federal com a Sociedade Brasileira com a sua intolerância, preconceito e ódio irracional contra os brancos. Reiteradas vezes ela fala do direito de odiar "de quem foi açoitado a vida inteira". Esta maluca está provocando a instituição da guerra racial no Brasil. É uma irresponsável que não conta com o apoio da maioria dos brasileiros. em tempo: sou descendente de africanos e portugue

Ademar Souza São Paulo - SP

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 8/Jul/2007 13:26 GMT

Considero mais que natural, considero um direito, porque com certeza, deu essa repercussão toda, porque o normal, é o negro não se insurgir, contra o racismo normal do branco, porque está certo, normal, natural, cotidiano,impregnado no branco, ele ser racista, discriminar e não acontecer nada. Porque o branco, matou, mata, colocou, coloca fogo, no indio, no mendigo, no negro e não acontece nada.Ou seja, graças, e que continue, ser racista ser privilégio só para os branco?

Josefina Serra dos Santos Brasília

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 7/Jul/2007 18:42 GMT

Há racismo em todo lugar. O fato inegável são os 354 + 119 anos na história brasileira de escravidão negra e sub-cidadania. O legado da escravidão e da Abolição que não aboliu está posto: 7 entre 10 miseráveis são negros. A renda do negro em SP é a metade, em média do branco. Na verdade, busca-se pela causa racial a integração do negro às lutas sociais. O que não invialibiza o entendimento de que há uma condição econômica por meio de ações afirmativas, meio estratégico para combater o racismo.

Cleyton Borges São Paulo

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 5/Jul/2007 9:35 GMT

É normal sim!,até quando vamos continuar fingindo que não acontece nada?....Basta entrar numnecrótério qualquer dia da semana,delegacias,presidios,periferias e favelas pelo Brasil...Nas Univesidades publicas Federais,nos bairros ricos da capital do Brasil inteiro, negro é empregado...Sou negro já é normal se revistado na rua por Policiais,ter meus pertences vasculhados em porta de banco.

VAnderson São Paulo

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 5/Jul/2007 9:35 GMT

Esse discurso de qe Racismo é coisa de negro que sente-se infrior é pura distração para que essa discurssão não venha a tona...

PERGUNTE A UM CARA BRANCO RICO E DE CLASSE MEDIA O QUE ELE ACHA DE O FILHO OU A FILHA DELE CASAR COM UM NEGRO OU NEGRA....
OU MESMO COGITAR A POSSIBILIDADE DE TER UM NETINHO ESCURO.....
MAIS PERGUNTE A UM AMIGO EM COMUN,ELE TALVEZ POR SABER QUE E TEU AMIGO SERA CINSERO!!!!!

VAnderson São Paulo

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 25/Jun/2007 0:56 GMT

Meus antepassados eram judeus portugueses "Cristãos Novos", eram negros sarracenos,e contribuíram muito para o desenvolvimento de coisas muito interessantes neste país.MInha pele é marrom por isso me considero negro beleza! Mas o interessante é que meu trabalho exige de mim muita leitura e esteja sempre informado. Inclusive destes assuntos escabrosos de roubo e tal na política. Acho que todos nós, brancos e negros temos muito ainda para fazer neste país. Ministra,te amamos mas pense.

Julio de Carvalho Botucatu

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 24/Jun/2007 6:28 GMT

A ministra,foi muito corajosa em falar num assunto que temos medo de discutir,até parace ser um tabú.Na miha infância foi obrigado há acreditar que não existia o racismo,porém ouvia piadas do genero e notava que havia alguma coisa fora do normal.Eu,pergutava a mim mesmo:
_se não há racismo,por quê grande parte da população negra vive na miséria?
Agora chegou o melhor momento para deixar cair o mito da demcracia racial.Ainda bem que não desenvolvemos o ódio racial,mas vamos falarde racismo.

fabio Idalino Rio De Janeiro

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 21/Jun/2007 19:30 GMT

Uma das características dos discursos racistas é inverter os papéis em questão: os discriminados, quando lutam contra o preconceito, passam a ser identificados como discriminadores e, os discriminadores, a discriminados.

Robson Hilário da Silva São Paulo

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 18/Jun/2007 1:35 GMT

Inconveniente a afirmativa da ministra.Mas,há de ambas as partes o racismo,porém não podemos confundir com exclusão.Há nescessidade de não se excluir, de querer estar lá, de poder estar lá.Querer e poder, requer trabalho, dedicação, estudo, criar oportunidade através de sua individualidade e proliferar no grupo familiar, em constante busca de suas satisfações.Pode até levar uma geração,mas a inclusão social não se dá, se conquista.Sem agressão, mas com concientização e trabalho.

Almerindo de Oliveira Campo Grande-MS.

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 16/Jun/2007 18:41 GMT

Ah, claro. Não sabia que eram os negros que batiam nos próprios negros. Não creio que essa tarefa tenha sido única e exclusiva dos brancos. Mas sinceramente, não sei o que é pior: bater com as próprias mãos ou usar as de outrem.

Indo além. Ninguém precisa colocar os negros no tronco hoje. São usadas outras ferramentas para nos castigar.

Cléa

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 16/Jun/2007 17:17 GMT

A opinião da Ministra foi pintada(propositalmente?) com cores fortes. O que ela diz é o óbvio. "Reação" significa que houve ação anterior. O que ela deixa claro, e não foi "lembrado" é que ela diz não considerar essa reação "coisa boa".
Nossos livros de história fizeram-nos acreditar que houve um aceitação "natural" dos negros ao serem escravizados. E que era "normal" a escravidão, justificada pelo fator econômico. Concordo com a Ministra, e acho "normal" considerarem "absurdo", negro reagir

Rosângela Salvador

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 3/Jun/2007 18:00 GMT

É impressionante uma ministra, com o nível intelectual avançado, dizer um absurdo desse. Primeiramente, quando se diz que o racismo é natural, na verdade, entende-se que faz parte da natureza humana, que é instintivo, o que não tem nada a ver, pois o racismo contra os negros surgiu num contexto socioeconômico. E em segundo lugar, já houve escravidão de brancos também, no Egito, na Babilônia, e não se vê racismo nenhum entre brancos que foram açoitados e os que açoitaram.

Nádia Campos Itajubá

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 31/Mai/2007 16:57 GMT

A ministra além de cometer um gravissímo erro histórico incita com suas palavras a discriminação.Pelo que se saiba não existe nenhum negro que foi açoitado a vida inteira vivo,atualmente,que possa não aceitar conviver com o branco que o açoitou(na verdade eram os próprios negros que faziam esse serviço).Mas, num país onde o ministro Tarso Genro classificou a invasão do Congresso Nacional a depredação do patrimonio público e o afundamento do crânio de um dos seguranças como um ato normal....

Dimas Cunha Vilhena Rondônia

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Enviado: 31/Mai/2007 2:04 GMT

A ministra tem razão. Mestiços também estão na lista dela.

Jorge Agripa Silva Viradouro

Recomendado por 0 pessoas

Quer reclamar deste comentário?

Sites da BBC

Esta pgina melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora voc seja capaz de ver o contedo da pgina, no poder enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que voc instale um navegados mais atualizado, compatvel com a tecnologia.